Sexta-feira, 11 de Abril de 2008

Os Métodos de Satanás



A melhor maneira de se vencer uma guerra, é conhecendo BEM o seu adversário. Neste tópico iremos abordas os temas: Os métodos de satanás, Um exército maligno, O propósito do diabo, Os pensamentos do diabo, Deus teve um dilema. Um Estudo Bíblico muito bom.



Uma das estratégias que satanás adota é exagerar a própria força e o próprio poder, fazendo as pessoas acreditarem que é invencível.


No entanto, conforme nos ensinam as Escrituras Sagradas, nosso Senhor Jesus Cristo triunfou sobre ele e seus demônios, derrotando-os na cruz:


“... e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz.” Colossenses 2.15


“Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.” Lucas 10.19


Um cristão verdadeiro não deve temer o diabo; antes, deve temer perder sua comunhão com Deus e, assim, tornar-se vulnerável aos ataques satânicos.


Outra estratégia é exatamente oposta à anterior e consiste em convencer as pessoas de que não precisam orar para combater os espíritos malignos. Muitas igrejas estão cheias de crentes que negligenciam a necessidade de estarmos vigilantes. Até mesmo existem aqueles que não acreditam na existência dos demônios, reduzindo-os à categoria de simples mitos. No entanto, a Bíblia nos mostra que precisamos adotar determinadas estratégias para obtermos a vitória:


“Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo.” Efésios 6.11


Aprendemos com o Senhor Jesus a enfrentar o tentador com vigilância e oração. Ele também nos ensinou que existem certos tipos de demônios que só são expulsos através da oração e do jejum: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca.” Marcos 14.38


“Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum.” Mateus 17.21


Satanás também se empenha em semear a incredulidade no mundo. Muitas pessoas são induzidas ao desprezo de toda e qualquer realidade espiritual, chegando a contrapor a ciência à fé.


Mesmo diante das incontestáveis evidências do Criador no mundo em que vivemos, muitos homens chegam ao completo ateísmo e, por causa disso, recebem a condenação de Deus:


“Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis...” Romanos 1.20


O apóstolo Paulo nos ensinou a lidar com esse tipo de artimanha satânica:


“Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas; anulando nós, sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo...” 2 Coríntios 10.4,5


Além de semear a descrença na Verdade, satanás também possibilita a fé errada. Então surgem as seitas e heresias. Muitos passam a acreditar que estão no caminho certo, quando na verdade rumam para a morte. Isso justifica o fato de existirem pessoas que se consideram inteligentes e bem informadas, acreditando cegamente em seres mitológicos, como fadas, duendes e gnomos.


No Brasil é comum existirem aqueles que afirmam acreditar em Jesus Cristo e, no entanto, praticam religiões totalmente contrárias aos ensinamentos bíblicos. Outras rompem com qualquer noção de cristianismo e adotam religiões assumidamente anticristãs:


“Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte.” Provérbios 14.12


Satanás pretende também fazer com que as pessoas duvidem das Escrituras Sagradas. O próprio Senhor, quando estava no deserto, foi tentado a questionar a Palavra de Deus, mas obteve vitória, provando que a mente satânica não resiste a um confronto com as Verdades Eternas:


“Então, o tentador, aproximando-se, lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães. Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus.” Mateus 4.3,4


Através da experiência do Senhor Jesus, os apóstolos puderam aprender e ensinar sobre a espada do espírito, a mais potente arma de combate:


“Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus...” Efésios 6.17


“Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.” Hebreus 4.12


A possessão demoníaca talvez seja a pior estratégia do diabo. Ele pode tomar conta de um corpo, total ou parcialmente, causando muita infelicidade. A libertação de pessoas possessas requer intensa consagração, conforme a narrativa abaixo nos ensina:


“Senhor, compadece-te de meu filho, porque é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e outras muitas, na água. Apresentei-o a teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo. Jesus exclamou: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-me aqui o menino. E Jesus repreendeu o demônio, e este saiu do menino; e, desde aquela hora, ficou o menino curado. Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus, perguntaram em particular: Por que motivo não pudemos nós expulsá-lo? E ele lhes respondeu: Por causa da pequenez da vossa fé. Pois em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e ele passará. Nada vos será impossível. Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum.” Mateus 17.15-21


Um exército maligno


Ao ser expulso do Céu, satanás carregou uma grande parte dos anjos, que passaram a ser demônios e estão a seu serviço. Estes seres igualmente perversos também receberão o castigo eterno, quando chegar o momento certo:


“Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos.” Mateus 25.41


Os cooperadores de satanás se organizam numa hierarquia, assim como os anjos de Deus. Paulo menciona a existência de principados, potestades e dominadores: “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes.” Efésios 6.12


Os principados estão diretamente ligados a satanás e dele recebem ordens para comandar suas tropas. Cada príncipe comanda uma região, onde oprime o povo em maior ou menor grau, dependendo da intensidade das orações dos servos de Deus. Daniel precisou enfrentar a oposição de um principado por vários dias, até que o socorro veio através do arcanjo Miguel:


“Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia.” Daniel 10.12,13


As potestades são submissas aos principados e agem nos lugares celestiais. Têm um alvo preferido: o povo de Deus. Semeiam no coração das pessoas sentimentos negativos e podem, por exemplo, dividir uma Igreja e derrubar um líder, quando encontram pouca vigilância e pouca oração. Os dominadores agem na Terra e são os espíritos que se apossam do corpo das pessoas.


O propósito do diabo


O diabo sabe que seus dias estão contados. Ele sabe que existe um lugar de punição eterna, preparado para ele e seus seguidores. Enquanto seu fim não chega, satanás usa todas as forças que possui para destruir os seres humanos, que são a obra-prima de Deus. Ele faz isso por inveja, já que foi banido e perdeu sua condição de anjo de luz quando tentou usurpar o trono de Deus. Seu maior propósito era exaltar seu nome acima das estrelas, ou seja, possuir o domínio e o poder que pertencem ao Criador e, dessa forma, tornar-se semelhante ao Altíssimo:


“Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. Contudo, serás precipitado para o reino dos mortos, no mais profundo do abismo.” Isaías 14.12-15


Frustrado em seus desígnios, agora ele se empenha em arrastar para a morte eterna o maior número possível de pessoas. O Senhor Jesus resumiu os propósitos do diabo em três conceitos: morte, roubo e destruição. É isso que ele tem realizado em toda a história da humanidade: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir...” João 10.10


Os pensamentos do diabo


*CONHECENDO NOSSO ADVERSÁRIO


O diabo é o grande responsável pelo mal que afeta a humanidade.


Em seu ódio imensurável, ele provoca doenças, miséria, vícios, desastres, guerras, homicídios, prostituição, adultérios, soberba, crítica, orgulho, vaidade e muitas outras coisas prejudiciais ao relacionamento entre a humanidade e Deus. Para cumprir seus objetivos, ele mente, tenta, engana, seduz e acusa, com requintes de perversidade.


Uma das frases que melhor descrevem o inimigo está na primeira carta de Pedro, onde é identificado como um leão à espreita de sua caça:


“Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor; como um leão que ruge procurando alguém para devorar.” 1 Pedro 5.8


Desde que caiu em desgraça, o diabo tem rondado a criação de Deus, procurando destruí-la. Já no início da Bíblia podemos ler a narrativa de como ele usou de toda a sua malícia para desviar os seres humanos dos caminhos de Deus. Durante a inserção do pecado no mundo, lá estava ele no papel de tentador, semeando a descrença e incentivando a desobediência:


“Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o Senhor Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.” Gênesis 3.1-5


Deus teve um dilema


Deus não poderia aceitar a presença do pecado em Seu Universo. Quando Adão e Eva pecaram, encontrou-Se frente a um dilema. Ele próprio havia determinado que os pecadores não deveriam ser poupados. Todos os pecadores deveriam pagar com a vida pelo fato de estarem profanando a criação:


“Porque o salário do pecado é a morte.” Romanos 6.23


Por outro lado, Deus não queria destruir os seres que amava tão intensamente. Seu caráter justo sentia que a justiça deveria ser aplicada. Já seu coração misericordioso traçava um plano para evitar que a criação humana se perdesse para sempre:


“As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim...” Lamentações 3.22


Lembremo-nos de que Ele afirmou, no início da criação, que os seres humanos seriam destruídos quando Lhe desobedecessem. Sendo Santo e Perfeito, Ele não poderia deixar de cumprir Sua promessa. Observe o que está escrito no livro do profeta Jeremias:


“Disse-me o Senhor: Viste bem, porque eu velo sobre a minha palavra para a cumprir.” Jeremias 1.12


*A SOLUÇÃO DO DILEMA


Vimos que a humanidade caída se autocondenou à destruição. Somente uma força muito poderosa, que fosse maior do que a morte, poderia anular tamanha sentença: o amor de Deus. Então, movido por esse amor infinito, Ele criou uma solução para resgatar a humanidade:


“Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3.16


“Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.” 2 Coríntios 5.21


Estávamos devendo e não tínhamos como pagar o resgate de nossas almas. Por isso Deus resolveu que Ele mesmo pagaria nossa dívida:


“Tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu-o inteiramente, encravando-o na cruz.” Colossenses 2.14


“Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” Filipenses 2.6-8


Realizando um milagre que a mente humana não consegue compreender em toda a sua plenitude, Deus Se transformou em homem, nascido de uma mulher e foi castigado em nosso lugar:


“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” Isaías 53.5

publicado por paulocsm às 12:59
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Músicas do Renato Suhett ...

. Ouça Boas Músicas com Men...

. A "casa" de DOIS BILHÕES ...

. Foto IURD Nashville - Ten...

. Testemunho Renato Suhett ...

. Para Reflexão: A Bolacha

. Para Reflexão: A casa que...

. Para descontrair - Salmo ...

. O que fazer para ser Bem ...

. Foto IURD Filipinas

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds